Biografia

             15966174_1240181782735568_8703580772024342448_n

Adam Noah Levine

O cantor, compositor e ator Adam Noah Levine, nasceu no dia 18 de março de 1979, na cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos. É filho do empresário Fredric Levine (dono da butique M. Fredric) com a conselheira de admissões Patsy Noah, tem um irmão, Michael, e três meios-irmãos, Julia, Sam e Liza. Tinha 7 anos quando os pais se divorciaram, e precisou de terapia por histeria por conta da separação. É judeu, mas já revelou que rejeita uma maneira formal de prática da religião e prefere um estilo de vida mais espiritual. É do signo de peixes, canhoto e tem TDAH (transtorno de déficit de atenção com hiperatividade). Ama golf e é torcedor do time de basquete Los Angeles Lakers. Também é amante de tatuagens, já fez mais de 15. Em 2013, foi escolhido pela revista People o homem mais sexy do ano. É casado com a modelo da marca de lingerie Victoria’s Secret Behati Prinsloo desde 2014, e é pai de primeira viagem da pequena Dusty Rose Levine, que nasceu no dia 21 de setembro de 2016.

Carreira e Maroon 5

Desde jovem, demonstrou gostar do mundo artístico. Adam descreve a família como “muito musical”, e credita a mãe por tê-lo colocado nesse caminho. Segundo ele, foram os ídolos da mãe como Simon & Garfunkel, Fleetwood Mac e The Beatles como formadores do seu estilo musical. Aos 1o anos, começou a tocar violão, e se apaixonou. Durante o ensino médio, sempre esteve mais interessado em música do que nos estudos. Fez sua primeira apresentação profissional quando ainda estava na sétima série, numa casa de shows chamada The Troubadour, em Los Angeles. Em 1994, criou a banda Kara’s Flowers, junto com alguns amigos da escola particular Breentwood: Jesse Carmichael, Mickey Madden e Ryan Dusick. Lançaram um álbum de forma independente na época, “…We Like Digging?”, que tinha uma pegada mais grunge, um estilo de rock que fazia sucesso. Em 1997, um produtor independente, Tommy Allen, descobriu o grupo enquanto eles tocavam em uma festa na praia de Malibu. Com a ajuda dele, a banda assinou com a gravadora Reprise Records, e, em 1997 mesmo, lançou o disco The Fourth World. Chegaram a aparecer tocando no seriado “Beverly Hills”, mas com o fracasso de vendas do CD, o contrato com a gravadora foi finalizado em 1999.

Decepcionado, o grupo se separou e seguiu para faculdades diferentes. Adam e Jesse foram pra Universidade Five Towns, em Nova York, voltada para música e artes. Os dois ficaram expostos a um cenário musical completamente diferente, com R&B e hip hop. O cantor já revelou que morar na cidade teve um grande impacto na visão musical dele. Mas o vocalista largou os estudos no primeiro semestre, em 2000. De volta a Los Angeles, a banda se reuniu mais uma vez. Viram que precisavam ser mais do que um grupo de rock, com outras inspirações. Gravaram várias demos, rejeitadas por várias gravadores. Até que um deles caiu nas mãos dos executivos da Octone Records James Diener, Ben Berkman e David Boxenbaum. Por um conselho de Berkman, James Valentine entrou como quinto membro. A banda mudou então o nome para Maroon 5. Eles nunca revelaram a origem, uma ideia do vocalista. Adam argumenta que a história é tão ruim que acharam que o mistério em torno do nome seria uma história melhor que a história verdadeira. Além dos integrantes do grupo, a única pessoa que sabe de tudo é o cantor Billy Joel. Com Adam nos vocais e na guitarra, Jesse nos teclados, Mickey no baixo, Ryan na bateria e James na guitarra, o Maroon 5 assinou o contrato com a gravadora Octone, em 2001.

Por um período, Adam também foi assistente dos roteiristas da série de televisão “Judging Amy”, graças a uma amiga da família que era produtora do programa. Nessa época, ele começou a compor músicas sobre a ex-namorada Jane, que deu origem ao primeiro CD do Maroon 5: “Songs About Jane” (“Músicas sobre Jane”, em tradução livre), lançado em 2002, e foi um sucesso instantâneo.

Até o momento, o grupo já lançou cinco discos de estúdio: Songs About Jane (2002), It Won’t Be Soon Before Long (2007), Hands All Over (2010), Overexposed (2012) e V (2014). Com o passar dos anos, a banda sofreu alterações. Ryan Dusick saiu devido a problemas de saúde em 2006. E no decorrer do tempo, outros músicos entraram. Hoje, são sete integrantes: Adam, James, Jesse, Mickey, Matt Flyyn na bateria, PJ Morton nos teclados e Sam Farrar (que acompanha mais durante as turnês). O grupo já ganhou três Grammy’s, o prêmio mais importante da música. Um em 2005 de Artista Revelação, e outros em 2006 e 2008 na categoria Melhor Performance por uma Dupla ou Grupo com Vocais, pela músicas “This Love” e “Makes Me Wonder”.

Projetos extras

Adam fechou várias parcerias musicais, com e sem o Maroon 5. Em 2005, com Ying Yang Twins, Kanye West e Alicia Keys, em 2006, com Natasha Bedingfield, em 2009, com o rapper K’naan na música Bang Bang. Em 2008, gravou com Rihanna If I Never See Your Face Again, que entrou no relançamento de It Won’t Be Soon Before Long e no disco da cantora. Em 2009, gravaram Out of Goodbyes com o trio country Lady Antebellum. Em 2010, cantou com a Christina Aguilera a música Moves Like Jagger, que entrou no disco Hands All Over, e chegou ao topo das paradas nos EUA. Adam também fez parceria com o guitarrista Slash e, no mesmo ano, cantou com outros cantores a canção We Are The World, em prol das vítimas de terremotos no Haiti. Em 2011, trabalhou com o grupo Gym Class Heroes na música Stereo Hearts. Em 2012, com os rappers 50 Cent e Eminem, cantou na música My Life.  O vocalista contribuiu em Heavy, no CD solo do companheiro de Maroon 5, PJ Morton, em 2013. Gwen Stefani também cantou com Adam em My Heart is Open, do álbum do Maroon 5 “V”. Em 2015, ele fez uma participação na música Locked Away, do duo de produtores Rock City, entre outras parcerias (leia mais em Participações).

Em 2014, Adam deu início a uma nova empreitada: a atuação no cinema. Cantou e atuou no filme “Mesmo Se Nada Der Certo”, quando interpretou Dave,  um cantor que troca a boa música artesanal pelo sucesso massivo. Na trilha, ele canta No One Else Like You, A Higher Place e Lost Stars. A última chegou a entrar no CD “V”, do Maroon 5, e foi indicada ao Oscar de 2015 na categoria melhor trilha sonora, mas perdeu. Adam também participou em 2016 da trilha do filme Popstar: Never Stop Never Stopping, do grupo de comédia The Lonely Island, com a música I’m so Humble. No mesmo ano, participou cantando e compondo Go Now, na trilha do filme Sing Street, do mesmo diretor de Mesmo Se Nada Der Certo. O vocalista também estaria no elenco da comédia The Clapper, ao lado dos atores Ed Helms, Amanda Seyfried e Tracy Morgan.

Apesar do destaque que tem como músico, Adam também é empresário, ator, modelo. Em 2008, lançou uma linha de produtos musicais pela First Act, intitulada de 222. Em 2010, participou da 33ª temporada do programa de televisão Saturday Night Live. Em 2011, fez um ensaio nu para a revista Cosmopolitan, em uma campanha promovendo a prevenção do câncer de próstata. No mesmo ano, estreou como um dos quatro mentores do reality show de competição musical The Voice, do canal americano NBC, uma vitrine que impulsionou ainda mais o sucesso do Maroon 5. Adam e o cantor country Blake Shelton são os únicos que participaram de todas as 11 temporadas, que ainda continuam.

Em 2012, Adam abriu a gravadora 222 Records, e fez uma participação curta e especial no primeiro episódio da série de terror American Horror Story. Em 2013, lançou o perfume “Adam Levine” para homens e mulheres. Lançou ainda uma linha roupas masculinas e femininas pela Kmart, em 2013. Em 2016, Adam veio ao Brasil como garoto-propaganda da marca de roupas brasileira, mas conhecida no exterior John John Denim.

Brasil

Em relação ao Brasil, Adam sempre expressou gostar bastante do país e dos brasileiros. Esteve pela primeira vez no país em 2004, quando o Maroon 5 fez duas pequenas e discretas, apresentações em São Paulo e Rio de Janeiro, sem divulgação e apenas com singles lançados. Retornou em 2008, com uma turnê da banda, que se apresentou em São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.  Em 2011, estiveram no festival Rock in Rio substituindo o rapper Jay-z. Eles estiveram no mesmo dia em que o Coldplay se apresentou, fechando a noite. Em 2012, a banda passou pelo país com a turnê Overexposed, se apresentando em Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo. Após quatro anos, em março de 2016, a Maroon 5 voltou ao país com a turnê do disco V. Fizeram sete shows em Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, São Paulo e Rio de Janeiro, sendo dois deles em São Paulo. Adam guardou surpresas para os fãs, tirou a camisa durante as apresentações, segurou a bandeira brasileira e, ainda, provou o quanto gosta do Brasil e do nosso idioma, cantando em português uma parte da clássica canção de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, Garota de Ipanema, no último show da turnê, no Rio de Janeiro. Mas a admiração do Adam pela música brasileira não é segredo, ele já assumiu que escuta MPB e já havia cantando a música brasileira em um festival.